Métodos de diagnóstico e tratamento das alterações odontológicas

Projetos incluídos na linha de pesquisa "Métodos de diagnóstico e tratamento das alterações odontológicas"

 

Acurácia de métodos radiográficos e tomográficos na avaliação de implantes e próteses dentárias

Responsável: Prof. Sergio Lins de Azevedo Vaz

Na avaliação longitudinal do sucesso das reabilitações orais com implantes usualmente lança-se mão de exames clínicos regulares complementados por radiografias, com exames tomográficos reservados às complicações; contudo as limitações desses métodos ainda são pouco conhecidas. Os estudos incluídos neste projeto propõem-se a avaliar a acurácia e as limitações dos métodos radiográficos e tomográficos, sob diferentes parâmetros de aquisição e pós-processamento, na avaliação óssea peri-implantar e da adaptação prótese-implante.

 

Biomateriais odontológicos e terapias coadjuvantes no tratamento de lesões e no reparo tecidual

Responsável: Profa. Daniela Nascimento Silva

Diferentes procedimentos têm sido desenvolvidos para preservar e melhorar o contorno dos ossos maxilares para posterior reabilitação bucal. Dentre as diversas técnicas de reconstrução óssea alveolar, o enxerto ósseo autógeno é descrito como uma abordagem “padrão-ouro”. No entanto, a sua disponibilidade é limitada, levando a procura por substitutos ósseos adequados. Este projeto também envolve o estudo de tratamentos alternativos como a crioterapia que vem se mostrando eficaz no tratamento de lesões bucais de tecidos moles como mucocele, hiperplasia, leucoplasia, rânula e hemangiomas, e como coadjuvante nas lesões de tecido duro, como ameloblastoma, ceratocisto odontogênico, fibroma ossificante e mixoma. A laserterapia também tem sido muito indicada no tratamento de lesões bucais, como lesões herpéticas e outras manifestações bucais de lesões sistêmicas em pacientes imunocomprometidos, bem como para auxiliar no reparo de feridas cirúrgicas. Buscando-se reduzir o tempo de integração dos substitutos ósseos ao leito ósseo (seja enxertos homólogos, xenógenos ou aloplásticos), os estudos vinculados a este projeto visam avaliar o efeito de terapias coadjuvantes do reparo tecidual associadas a diferentes substitutos ósseos, como laserterapia e moduladores do metabolismo ósseo (ex.: bifosfonatos), por meio de estudos pré-clínicos in vivo. Analisar a efetividade do uso clínico da crioterapia com nitrogênio líquido e/ou da laserterapia aplicada em lesões bucais benignas e em feridas cirúrgicas.

 

Doença periodontal, implicações locais e sua correlação com doenças sistêmicas

Responsável: Profa. Elizabeth Pimentel Rosetti

A associação entre doenças periodontais e o desenvolvimento de doenças sistêmicas têm recebido atenção crescente, o que implica na tentativa de uma melhor abordagem em equipe multidisciplinar na prática clínica. Exemplos clínicos motivam os estudos da diabetes e a doença periodontal, consideradas doenças crônicas altamente prevalentes com semelhanças na patobiologia. Por outro lado, a síndrome de Sjögren, doença autoimune caracterizada por xerostalmia e xeroftalmia, altera o ambiente periodontal pela possibilidade de que as respostas imunes ao desafio bacteriano da doença periodontal repercutam no parênquima das glândulas exócrinas afetadas, levando a piora do quadro sistêmico. A prevalência de obesidade tem crescido em todas as faixas etárias e alguns estudos já demonstraram que a obesidade, sendo uma condição inflamatória, pode aumentar a prevalência e progressão da doença periodontal. A etiopatogenia da doenca periodontal está intimamente associada ao grau de educação e higiene oral do paciente, daí a importância de se traçar a autopercepção de saúde periodontal e o conhecimento sobre a possibilidade de interação da condição periodontal com doenças sistêmicas. Além da repercussão sistêmica, o impacto local de quadros como a recessão gengival e a hipersensibilidade dentinária também são alvos de estudo. Os estudos incluídos neste projeto se propõem a verificar associações entre a doença periodontal e a concentração das citocinas (IL-1ß, IL-8 e IL-10), os níveis de IgA secretória total em amostras de fluido gengival e de saliva em pacientes com síndrome de Sjögren primária, diabetes e sobrepeso; identificar as principais linhagens de bactérias e descrever a condição oral desses pacientes; bem como investigar o impacto de terapias complementares no tratamento da doença periodontal.

 

Estudo dos métodos diagnósticos e terapêuticos de dentes traumatizados e suas complicações

Responsável: Prof. Thiago Farias Rocha Lima

O traumatismo dentário é um problema de saúde pública mundial e merece atenção da comunidade científica. Complicações pós-trauma, como necrose pulpar, fraturas e reabsorções radiculares, se não diagnosticadas em momento oportuno e não tratadas adequadamente, podem levar à perda do elemento dentário. O diagnóstico dessas complicações frequentemente depende de exames de imagem, os quais possuem inúmeras limitações técnicas ainda não superadas, principalmente quando os dentes acometidos foram reabilitados com materiais endodônticos e/ou restauradores de alta densidade. Da mesma maneira, o tratamento do trauma pode ser desafiador, especialmente frente a dentes com rizogênese incompleta. Os estudos incluídos neste projeto propõem-se a avaliar as principais complicações pós-traumáticas de dentes acometidos por fraturas, luxações e avulsões; estudar métodos eficazes de diagnostico para tais complicações; avaliar, por meio de análise clínica e radiográfica, diferentes propostas de revascularização pulpar em dentes com rizogênese incompleta.

 

Estudo morfológico dos dentes humanos

Responsável: Prof. Rogério Albuquerque Azeredo

Os dentes, um dos principais constituintes do sistema estomatognático, possuem uma morfologia singular para cada elemento, o que propicia uma adequada realização de suas complexas funções. Cada grupo dentário possui uma anatomia muito característica, contudo, uma série de variações morfológicas a eles associada, agregada a discrepâncias na descrição de suas características, impede que uma correta identificação e diferenciação entre esses elementos sejam realizadas. Neste projeto propõe-se o estudo da anatomia coronária e radicular dos dentes humanos, relatando suas características morfológicas e principais dimensões, uma vez que na literatura pesquisada existe uma série de informações conflitantes. Assim, espera-se comprovar tais características como também a possibilidade de identificar novas variações, as quais são importantes para o diagnóstico e planejamento terapêutico em especialidades como a Dentística e Endodontia.

 

Morfologia óssea, osteoporose e osteopenia: estudo do perfil clínico e dos métodos de diagnóstico por imagem

Responsável: Profa. Tânia Regina Grão Velloso

O tecido ósseo tem sido tema de discussão devido à sua característica de ser um tecido lábil e que sofre modificações por uma série de fatores, internos ou externos que o modificam e o tornam capaz de se adaptar a estas alterações. Assim sendo, deve ser estudado por métodos morfológicos e imaginológicos, que nos auxiliam a compreender estas alterações. Dentre as alterações ósseas encontram-se a osteopenia e a osteoporose. No período do climatério se observa o início da perda óssea acelerada que contribui para o desenvolvimento da osteopenia e posterior osteoporose, com maior incidência de fraturas ao trauma mínimo. As pesquisas mostram que uma em cada cinco mulheres com fratura de quadril evoluem para óbito em um ano. A redução deste risco e a adoção de medidas preventivas estão relacionadas ao diagnóstico e tratamento precoce da osteopenia e da osteoporose. O diagnóstico baseia-se no exame de densitometria óssea (DXA) que associado a critérios clínicos para avaliação do risco de fraturas determina a necessidade de tratamento, principalmente em pacientes com osteopenia. O DXA possui alto custo e nem sempre está disponível na rede pública. Atualmente, o método TBS surge como alternativa para estimar a microarquitetura óssea a partir de uma imagem de DXA da coluna lombar, mas este ainda não está disponível na rede pública. Por outro lado, pesquisas têm sido feitas no sentido de diagnosticar precocemente a doença, com exames de custo menor e mais acessíveis. Um destes é a radiografia panorâmica (RP) usada como rotina nos diversos tratamentos odontológicos. Além da RP, outros exames de imagem orais como radiografia periapical e tomografia computadorizada surgem como opções para auxiliar na identificação precoce do paciente com osteopenia ou osteoporose. Outro fator a ser considerado são os fármacos utilizados no controle desta perda óssea, em geral os bifosfonatos que têm sido associados à osteonecrose maxilar, principalmente na mandíbula, sendo importante a identificação de fatores de risco ao seu desenvolvimento. Os estudos incluídos neste projeto se propõem a: relatar as características morfológicas e imaginológicas do tecido ósseo e estruturas que estão relacionadas com ele; avaliar o perfil clínico-epidemiológico das pacientes com osteopenia/osteoporose; contribuir no desenvolvimento de métodos para diagnóstico precoce.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105