Conhecimento e Prática em Saúde Bucal de Cuidadores de Idosos Institucionalizados

Nome: Patrícia da Costa Gomes
Tipo: Dissertação de mestrado profissional
Data de publicação: 28/08/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Elizabeth Pimentel Rosetti Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Alfredo Carlos Rodrigues Feitosa Examinador Interno
Elizabeth Pimentel Rosetti Orientador
Roberta Grasselli Batitucci Pinel Examinador Externo

Resumo: Muitos idosos necessitam de auxílio dos cuidadores, que exercem um papel fundamental na manutenção da adequada saúde bucal. Assim, o objetivo deste trabalho foi analisar o conhecimento e a prática em saúde bucal de cuidadores de idosos institucionalizados, em Vitória, ES, Brasil. Os métodos consistiram em um estudo transversal realizado com todos os 27 cuidadores de idosos de uma instituição de longa permanência, por meio de um formulário específico. Analisaram-se as características pessoais e de formação dos cuidadores e características sobre conhecimento, prática e prevenção relacionados à saúde bucal. Para a análise dos dados, foi realizada estatística descritiva, por meio de frequência absoluta e relativa. Os resultados apontaram que o gênero feminino foi predominante (63%); a maioria dos cuidadores apresentava elevado grau de escolaridade; e 81,5% receberam formação para trabalhar com idosos. Em relação ao conhecimento, embora a grande maioria conheça a necessidade de escovar os dentes pelo menos três vezes ao dia para prevenir a cárie dentária e a doença periodontal (88,9%), 44,5% disseram que a higiene bucal dos idosos não autônomos é realizada uma vez ao dia. Quanto à higienização das próteses, apenas um cuidador relatou utilizar agente químico e 40,7% disseram não existir um protocolo de higiene oral na instituição. Cerca de 70% declararam não saber as doenças orais que podem afetar um portador de prótese; 85% dos cuidadores acreditam existir relação entre debilidade na saúde geral e o aparecimento de alterações orais; e 59,3% responderam que o tipo de alimentação pode influenciar a saúde oral do idoso. Pôde-se concluir que os cuidadores conhecem a importância da saúde bucal para pacientes idosos institucionalizados, mas a prática não é proporcional. Apresentam elevado nível de escolaridade e a maioria recebeu formação para cuidar de idosos. Eles têm conhecimento sobre prevenção da cárie e das doenças periodontais, entretanto, não conhecem as lesões bucais que podem acometer os idosos.

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Maruípe, Vitória - ES | CEP 29043-900