Avaliação da Qualidade dos Tratamentos Endodônticos, na Etapa da Obturação, Realizados Por Alunos de Graduação

Nome: Ana Lia Campos Fritz
Tipo: Dissertação de mestrado profissional
Data de publicação: 20/06/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Francisco Carlos Ribeiro Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Francisco Carlos Ribeiro Orientador
Juliana Machado Barroso Xavier Coorientador
Kleber Borgo Kill Examinador Externo
Sergio Lins de Azevedo Vaz Examinador Interno

Resumo: O objetivo do presente estudo foi avaliar, por meio de radiografias periapicais, os tratamentos endodônticos, na fase da obturação, realizados por alunos de graduação, da Universidade Federal do Espírito Santo, durante a disciplina de Endodontia II, no período de 2012 a 2014. Os registros radiográficos de 511 tratamentos endodônticos foram submetidos aos critérios de inclusão, sendo eles; radiografias periapicais pré-operatórias e pós-operatórias de dentes unirradiculares e birradiculares com qualidade adequada de processamento e técnica; e de exclusão representados pelas radiografias com erros de processamento e/ou técnica que impossibilitasse a análise pelos examinadores, além de canais apresentando reabsorções, calcificações, perfurações, desvios ou instrumentos fraturados no seu interior e retratamentos. Sendo a amostra final representada por 368 dentes e 442 canais radiculares. As radiografias foram analisadas, com auxílio de retroprojetor de imagens, por três examinadores previamente calibrados. Os critérios utilizados para a avaliação da obturação foram o comprimento e a densidade. Quando um dos critérios foi considerado inadequado o tratamento endodôntico foi classificado da mesma forma. Os dados foram registrados e submetidos à análise estatística pelo teste Qui-quadrado e o nível de significância foi de 5%. Os dentes com obturações adequadas foram encontrados em 93,75% dos casos. Em 2,98% dos casos a densidade foi considerada inadequada. Quanto ao comprimento foram observados 1,35% dos casos como sobreobturados e 2,17% subobturados. Não foi observada diferença estatisticamente significativa (p>0,05) entre os grupos de dentes (incisivos, caninos e pré-molares) no que se refere a qualidade da obturação. Pôde-se concluir que as obturações realizadas pelos alunos de graduação da Universidade Federal do Espírito Santo, no período de 2012 a 2014, foram consideradas em sua maioria como adequadas.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Maruípe, Vitória - ES | CEP 29043-900